MILAGRES DE JESUS

 

Durante seu ministério, Jesus operou vários milagres, mostrando assim seu poder sobre a doença, a natureza e até mesmo sobre a morte.

É importante notar que em nenhum momento Jesus usou seus poderes para benefício próprio. Nem ao ficar quarenta dias em jejum, quando foi levado ao deserto para ser tentado por Satanás (Mateus 4:1-11).

Sem dúvida alguma, os milagres relatados na Bíblia não representam a totalidade de maravilhas que Jesus realizou durante seus 3 anos e meio de pregação do Reino de Deus. Como é dito pelo apóstolo João: "Jesus, na verdade, operou na presença de seus discípulos ainda muitos outros sinais que não estão escritos neste livro; estes, porém, estão escritos para que creiais que Jesus é o Cristo, o Filho de Deus, e para que, crendo, tenhais vida em seu nome." (João 20:30-31)

Foram pesquisados diversos sites e a Bíblia, com  a ajuda de nossas irmãs; Gilda M. Souza Araújo e Stela Anselmo Ribeiro.

ABAIXO, SEGUE A RELAÇÃO DOS MILAGRES DE JESUS RELATADOS NA BÍBLIA:

 

01 - TRANSFORMA  ÁGUA EM VINHO

João 2:6-11

 

 

Ali perto havia seis potes de pedra, do tipo usado pelos judeus para as purificações cerimoniais; em cada pote cabia entre oitenta e cento e vinte litros. Disse Jesus aos serviçais: "Encham os potes com água". E os encheram até à borda. Então lhes disse: "Agora, levem um pouco até o encarregado da festa". Eles assim fizeram,   e o encarregado da festa provou a água que fora transformada em vinho, sem saber de onde este viera, embora o soubessem os serviçais que haviam tirado a água. Então chamou o noivo  e disse: "Todos servem primeiro o melhor vinho e, depois que os convidados já beberam bastante, o vinho inferior é servido; mas você guardou o melhor até agora".  Este sinal miraculoso, em Caná da Galiléia, foi o primeiro que Jesus realizou. Revelou assim a sua glória, e os seus discípulos creram nele.

 

 

  

02 - CURA O SERVO DO CENTURIÃO

 

Lucas 7:1-10 -  Mateus 8.5-13;

 

Tendo terminado de dizer tudo isso ao povo, Jesus entrou em Cafarnaum.  Ali estava o servo de um centurião, doente e quase à morte, a quem seu senhor estimava muito. Ele ouviu falar de Jesus e enviou-lhe alguns líderes religiosos dos judeus, pedindo-lhe que fosse curar o seu servo.  Chegando-se a Jesus, suplicaram-lhe com insistência: "Este homem merece que lhe faças isso,  porque ama a nossa nação e construiu a nossa sinagoga". Jesus foi com eles. Já estava perto da casa quando o centurião mandou amigos dizerem a Jesus: "Senhor, não te incomodes, pois não mereço receber-te debaixo do meu teto.  Por isso, nem me considerei digno de ir ao teu encontro. Mas dize uma palavra, e o meu servo será curado. 8 Pois eu também sou homem sujeito a autoridade, e com soldados sob o meu comando. Digo a um: Vá, e ele vai; e a outro: Venha, e ele vem. Digo a meu servo: Faça isto, e ele faz".  Ao ouvir isso, Jesus admirou-se dele e, voltando-se para a multidão que o seguia, disse: "Eu lhes digo que nem em Israel encontrei tamanha fé".  Então os homens que haviam sido enviados voltaram para casa e encontraram o servo restabelecido

 

03 - CURA DO FILHO DO OFICIAL

João 4.46-54

 

Segunda vez foi Jesus a Caná da Galiléia, onde da água fizera vinho. E havia ali um nobre, cujo filho estava enfermo em Cafarnaum.

Ouvindo este que Jesus vinha da Judéia para a Galiléia, foi ter com ele, e rogou-lhe que descesse, e curasse o seu filho, porque já estava à morte.

Então Jesus lhe disse: Se não virdes sinais e milagres, não crereis.

Disse-lhe o nobre: Senhor desce, antes que meu filho morra. Disse-lhe Jesus: Vai, o teu filho vive. E o homem creu na palavra que Jesus lhe disse, e partiu.

E descendo ele logo, saíram-lhe ao encontro os seus servos, e lhe anunciaram, dizendo: O teu filho vive. Perguntou-lhes, pois, a que hora se achara melhor. E disseram-lhe: Ontem às sete horas a febre o deixou. Entendeu, pois, o pai que era àquela hora a mesma em que Jesus lhe disse: O teu filho vive; e creu ele, e toda a sua casa. Jesus fez este segundo milagre, quando ia da Judéia para a Galiléia.

 

 

04 - CURA O PARALITICO NO TANQUE

João 5:1-9

 

Depois disto havia uma festa entre os judeus, e Jesus subiu a Jerusalém.

Ora, em Jerusalém há próximo à porta das ovelhas, um tanque, chamado em hebreu Betesda, o qual tem cinco alpendres. Nestes jazia grande multidão de enfermos, cegos, mancos e ressecados, esperando o movimento da água. Porquanto um anjo descia em certo tempo ao tanque, e agitava a água; e o primeiro que ali descia, depois do movimento da água, sarava de qualquer enfermidade que tivesse.

E estava ali um homem que, havia trinta e oito anos, se achava enfermo. E Jesus, vendo este deitado, e sabendo que estava neste estado havia muito tempo, disse-lhe: Queres ficar são?

O enfermo respondeu-lhe: Senhor, não tenho homem algum que, quando a água é agitada, me ponha no tanque; mas, enquanto eu vou, desce outro antes de mim. Jesus disse-lhe: Levanta-te, toma o teu leito, e anda. Logo aquele homem ficou são; e tomou o seu leito, e andava. E aquele dia era sábado. Então os judeus disseram àquele que tinha sido curado: É sábado, não te é lícito levar o leito. Ele respondeu-lhes: Aquele que me curou, ele próprio disse: Toma o teu leito, e anda.

Perguntaram-lhe, pois: Quem é o homem que te disse: Toma o teu leito, e anda?

E o que fora curado não sabia quem era; porque Jesus se havia retirado, em razão de naquele lugar haver grande multidão.

Depois Jesus encontrou-o no templo, e disse-lhe: Eis que já estás são; não peques mais, para que não te suceda alguma coisa pior. E aquele homem foi, e anunciou aos judeus que Jesus era o que o curara. E por esta causa os judeus perseguiram a Jesus, e procuravam matá-lo, porque fazia estas coisas no sábado.

E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também.

Por isso, pois, os judeus ainda mais procuravam matá-lo, porque não só quebrantava o sábado, mas também dizia que Deus era seu próprio Pai, fazendo-se igual a Deus.

Mas Jesus respondeu, e disse-lhes: Na verdade, na verdade vos digo que o Filho por si mesmo não pode fazer coisa alguma, se o não vir fazer o Pai; porque tudo quanto ele faz, o Filho o faz igualmente.

 

 

 

05 - ACABA COM A FALTA DE PEIXE

Lucas 5:4-11

 

Tendo acabado de falar, disse a Simão: "Vá para onde as águas são mais fundas", e a todos: "Lancem as redes para a pesca".  Simão respondeu: "Mestre, esforçamo-nos a noite inteira e não pegamos nada. Mas, porque és tu quem está dizendo isto, vou lançar as redes".  Quando o fizeram, pegaram tal quantidade de peixes que as redes começaram a rasgar-se.  Então fizeram sinais a seus companheiros no outro barco, para que viessem ajudá-los; e eles vieram e encheram ambos os barcos, ao ponto de começarem a afundar.  Quando Simão Pedro viu isso, prostrou-se aos pés de Jesus e disse: "Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador!"  Pois ele e todos os seus companheiros estavam perplexos com a pesca que haviam feito...

E, de igual modo, também de Tiago e João, filhos de Zebedeu, que eram companheiros de Simão. E disse Jesus a Simão: Não temas; de agora em diante serás pescador de homens.

E, levando os barcos para terra, deixaram tudo, e o seguiram.

 

 

06 - CURA O ENDEMONINHADO NA SINAGOGA DE CAFARNAUM

Marcos 1:23-28  - Lucas 4.31-36

 

Justo naquele momento, na sinagoga, um homem possesso de um espírito imundo gritou:  "O que queres conosco, Jesus de Nazaré? Vieste para nos destruir? Sei quem tu és: o Santo de Deus!"  "Cale-se e saia dele!", repreendeu-o Jesus.  O espírito imundo sacudiu o homem violentamente e saiu dele gritando.  Todos ficaram tão admirados que perguntavam uns aos outros: "O que é isto? Um novo ensino - e com autoridade! Até aos espíritos imundos ele dá ordens, e eles lhe obedecem!"  As notícias a seu respeito se espalharam rapidamente por toda a região da Galiléia.

 

 

07 - CURA A SOGRA DE PEDRO E MUITOS OUTROS DOENTES

Mateus 8:14 -16 - Marcos 1.29-31 -  Lucas 4.38,39

 

Entrando Jesus na casa de Pedro, viu a sogra deste de cama, com febre.  Tomando-a pela mão, a febre a deixou, e ela se levantou e começou a servi-lo.  Ao anoitecer foram trazidos a ele muitos endemoninhados, e ele expulsou os espíritos com uma palavra e curou todos os doentes.

 

 

 

08 - CURA DO LEPROSO

 

Mateus 8:2-4  - Marcos 1.40-45  -  Lucas 5.12-16

 

Um leproso, aproximando-se, adorou-o de joelhos e disse: "Senhor, se quiseres, podes purificar-me!"  Jesus estendeu a mão, tocou nele e disse: "Quero. Seja purificado!" Imediatamente ele foi purificado da lepra.  Em seguida Jesus lhe disse: "Olhe, não conte isso a ninguém. Mas vá mostrar-se ao sacerdote e apresente a oferta que Moisés ordenou, para que sirva de testemunho".

 

 

 

09 - CURA DO PARALITICO

Mateus 9:2-8  - Marcos 2.3-12 -  Lucas 5.18-26

 

Alguns homens trouxeram-lhe um paralítico, deitado em sua maca. Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: "Tenha bom ânimo, filho; os seus pecados estão perdoados".  Diante disso, alguns mestres da lei disseram a si mesmos: "Este homem está blasfemando!"  Conhecendo Jesus seus pensamentos, disse-lhes: "Por que vocês pensam maldosamente em seu coração? Que é mais fácil dizer: 'Os seus pecados estão perdoados', ou: 'Levante- se e ande'?  Mas, para que vocês saibam que o Filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados" - disse ao paralítico: "Levante-se, pegue a sua maca e vá para casa".  Ele se levantou e foi.  Vendo isso, a multidão ficou cheia de temor e glorificou a Deus, que dera tal autoridade aos homens.

 

 

10 - CURA DA MÃO RESSEQUIDA

Mateus 12.9-13 -  Marcos 3.1-5 -  Lucas 6.6-10

 

E, partindo dali, chegou à sinagoga deles.

E, estava ali um homem que tinha uma das mãos mirrada; e eles, para o acusarem, o interrogaram, dizendo: É lícito curar nos sábados? E ele lhes disse: Qual dentre vós será o homem que tendo uma ovelha, se num sábado ela cair numa cova, não lançará mão dela, e a levantará?

Pois, quanto mais vale um homem do que uma ovelha? É, por conseqüência, lícito fazer bem nos sábados.

Então disse àquele homem: Estende a tua mão. E ele a estendeu, e ficou sã como a outra.

 

  

11 - RESSUSCITA DOS MORTOS O FILHO DA VIÚVA DE NAIM

Lucas 7:12-16

 

Ao se aproximar da porta da cidade, estava saindo o enterro do filho único de uma viúva; e uma grande multidão da cidade estava com ela.  Ao vê-la, o Senhor se compadeceu dela e disse: "Não chore".  Depois, aproximou-se e tocou no caixão, e os que o carregavam pararam. Jesus disse: "Jovem, eu lhe digo, levante-se!"  O jovem sentou-se e começou a conversar, e Jesus o entregou à sua mãe.  Todos ficaram cheios de temor e louvavam a Deus. "Um grande profeta se levantou entre nós", diziam eles. "Deus interveio em favor do seu povo."

 

 

12 - CURA O ENDEMONINHADO  SURDO-MUDO E CEGO

Lucas 11:14  - Mateus 12.22

 

Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo falou, e a multidão ficou admirada. Depois disso, levaram-lhe um endemoninhado que era cego e mudo, e Jesus o curou, de modo que ele pôde falar e ver.

 

 

 

13 - ACALMA A TEMPESTADE

Mateus 8:23-27 - Marcos 4.35-41 -  Lucas 8.22-25

 

E, entrando ele no barco, seus discípulos o seguiram;

De repente, uma violenta tempestade abateu-se sobre o mar, de forma que as ondas inundavam o barco. Jesus, porém, dormia.  Os discípulos foram acordá-lo, clamando: "Senhor, salva-nos! Vamos morrer!"  Ele perguntou: "Por que vocês estão com tanto medo, homens de pequena fé?" Então ele se levantou e repreendeu os ventos e o mar, e fez-se completa bonança. Os homens ficaram perplexos e perguntaram: "Quem é este que até os ventos e o mar lhe obedecem?”.

 

 

14 - CURA O ENDEMONINHADO GADARENO

Mateus 8: 28-34 -  Marcos 5.1-14 -  Lucas 8.26-39

 

Quando ele chegou ao outro lado, à região dos gadarenos, foram ao seu encontro dois endemoninhados, que vinham dos sepulcros. Eles eram tão violentos que ninguém podia passar por aquele caminho.  Então eles gritaram: "Que queres conosco, Filho de Deus? Vieste aqui para nos atormentar antes do devido tempo?"  A certa distância deles estava pastando uma grande manada de porcos.  Os demônios imploravam a Jesus: "Se nos expulsas, manda-nos entrar naquela manada de porcos".  Ele lhes disse: "Vão!" Eles saíram e entraram nos porcos, e toda a manada atirou-se precipício abaixo, em direção ao mar, e morreu afogada. Os que cuidavam dos porcos fugiram, foram à cidade e contaram tudo, inclusive o que acontecera aos endemoninhados.  Toda a cidade saiu ao encontro de Jesus, e, quando o viram, suplicaram-lhe que saísse do território deles.

 

 

15 -  CURA DA MULHER ENFERMA

 Mateus 9.20-22 -  Marcos 5.25-34 -  Lucas 8.43-48

 

E eis que uma mulher que havia já doze anos padecia de um fluxo de sangue, chegando por detrás dele, tocou a orla de sua roupa;

Porque dizia consigo: Se eu tão-somente tocar a sua roupa, ficarei sã.

E Jesus, voltando-se, e vendo-a, disse: Tem ânimo, filha, a tua fé te salvou. E imediatamente a mulher ficou sã.

 

 

16 - RESTAURA A VIDA A FILHA DE JAIRO

Marcos 5:22-24, 35-43 -  Mateus 9. 23-26 -  Lucas 8.41,42, 49-56.

 

Então chegou ali um dos dirigentes da sinagoga, chamado Jairo. Vendo Jesus, prostrou-se aos seus pés e lhe implorou insistentemente: "Minha filhinha está morrendo! Vem, por favor, e impõe as mãos sobre ela, para que seja curada e que viva".  Jesus foi com ele. Uma grande multidão o seguia e o comprimia.

Enquanto Jesus ainda estava falando, chegaram algumas pessoas da casa de Jairo, o dirigente da sinagoga. "Sua filha morreu", disseram eles. "Não precisa mais incomodar o mestre!"  Não fazendo caso do que eles disseram, Jesus disse ao dirigente da sinagoga: "Não tenha medo; tão-somente creia".  E não deixou ninguém segui-lo, senão Pedro, Tiago e João, irmão de Tiago Quando chegaram à casa do dirigente da sinagoga, Jesus viu um alvoroço, com gente chorando e se lamentando em alta voz.  Então entrou e lhes disse: "Por que todo este alvoroço e lamento? A criança não está morta, mas dorme".  Mas todos começaram a rir de Jesus. Ele, porém, ordenou que eles saíssem, tomou consigo o pai e a mãe da criança e os discípulos que estavam com ele, e entrou onde se encontrava a criança.  Tomou-a pela mão e lhe disse: "Talita cumi!", que significa "menina, eu lhe ordeno, levante-se!".  Imediatamente a menina, que tinha doze anos de idade, levantou-se e começou a andar. Isso os deixou atônitos.  Ele deu ordens expressas para que não dissessem nada a ninguém e mandou que dessem a ela alguma coisa para comer.

 

  

17 - CURA DE DOIS CEGOS

 Mateus 9.27-31

 

E, partindo Jesus dali, seguiram-no dois cegos, clamando, e dizendo: Tem compaixão de nós, filho de Davi.

E, quando chegou a casa, os cegos se aproximaram dele; e Jesus disse-lhes: Credes vós que eu possa fazer isto? Disseram-lhe eles: Sim, Senhor. Tocou então os olhos deles, dizendo: Seja-vos feito segundo a vossa fé. E os olhos se lhes abriram. E Jesus ameaçou-os, dizendo: Olhai que ninguém o saiba Mas, tendo eles saído, divulgaram a sua fama por toda aquela terra.

 

18 - CURA DO MUDO ENDEMONINHADO

Mateus 9.32,33

 

E, havendo-se eles retirado, trouxeram-lhe um homem mudo e endemoninhado.

E, expulso o demônio, falou o mudo; e a multidão se maravilhou, dizendo: Nunca tal se viu em Israel.

 

 

 

19 - PRIMEIRA MULTIPLICAÇÃO DE PÃES

João 6:5-14 -  Mateus 14.14-21 -  Marcos 6.34-44 - Lucas 9.12-17;

 

Levantando os olhos e vendo uma grande multidão que se aproximava, Jesus disse a Filipe: "Onde compraremos pão para esse povo comer?"  Fez essa pergunta apenas para pô-lo à prova, pois já tinha em mente o que ia fazer.  Filipe lhe respondeu: "Duzentos denários {1} não comprariam pão suficiente para que cada um recebesse um pedaço!" Outro discípulo, André, irmão de Simão Pedro, tomou a palavra:  "Aqui está um rapaz com cinco pães de cevada e dois peixinhos, mas o que é isto para tanta gente?"  Disse Jesus: "Mandem o povo assentar-se". Havia muita grama naquele lugar, e todos se assentaram. Eram cerca de cinco mil homens.  Então Jesus tomou os pães, deu graças e os repartiu entre os que estavam assentados, tanto quanto queriam; e fez o mesmo com os peixes. Depois que todos receberam o suficiente para comer, disse aos seus discípulos: "Ajuntem os pedaços que sobraram. Que nada seja desperdiçado".  Então eles os ajuntaram e encheram doze cestos com os pedaços dos cinco pães de cevada deixados por aqueles que tinham comido.  Depois de ver o sinal miraculoso que Jesus tinha realizado, o povo começou a dizer: "Sem dúvida este é o Profeta que devia vir ao mundo.”.

 

  

20 - ANDA SOBRE AS ÁGUAS E ACALMA A TEMPESTADE

João 6:16-21 -  Mateus 14.24-33  -  Marcos 6.45-52;

 

Ao anoitecer seus discípulos desceram para o mar,  entraram num barco e começaram a travessia para Cafarnaum. Já estava escuro, e Jesus ainda não tinha ido até onde eles estavam.  Soprava um vento forte, e as águas estavam agitadas.  Depois de terem remado cerca de cinco ou seis quilômetros, viram Jesus aproximando-se do barco, andando sobre o mar, e ficaram aterrorizados.  Mas ele lhes disse: "Sou eu! Não tenham medo!"  Então resolveram recebê-lo no barco, e logo chegaram à praia para a qual se dirigiam.

 

 

21 - CURA A FILHA DA MULHER CANANÉIA

Mateus 15:22-28  -  Marcos 7.24-30

 

Uma mulher Cananéia, natural dali, veio a ele, gritando: "Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Minha filha está endemoninhada e está sofrendo muito".  Mas Jesus não lhe respondeu palavra. Então seus discípulos se aproximaram dele e pediram: "Manda-a embora, pois vem gritando atrás de nós".  Ele respondeu: "Eu fui enviado apenas às ovelhas perdidas de Israel".  A mulher veio, adorou-o de joelhos e disse: "Senhor, ajuda-me!"  Ele respondeu: "Não é certo tirar o pão dos filhos e lançá-lo aos cachorrinhos".  Disse ela, porém: "Sim, Senhor, mas até os cachorrinhos comem das migalhas que caem da mesa dos seus donos".  Jesus respondeu: "Mulher, grande é a sua fé! Seja conforme você deseja". E naquele mesmo instante a sua filha foi curada

 

 

22 - CURA O HOMEM SURDO E MUDO

Marcos 7:31-37

 

E ele, tornando a sair dos termos de Tiro e de Sidom, foi até ao mar da Galiléia, pelos confins de Decápolis.

Ali algumas pessoas lhe trouxeram um homem que era surdo e mal podia falar, suplicando que lhe impusesse as mãos.  Depois de levá-lo à parte, longe da multidão, Jesus colocou os dedos nos ouvidos dele. Em seguida, cuspiu e tocou na língua do homem.  Então voltou os olhos para o céu e, com um profundo suspiro, disse-lhe: "Efatá!", que significa "abra-se!"  Com isso, os ouvidos do homem se abriram, sua língua ficou livre e ele começou a falar corretamente.  Jesus ordenou-lhes que não o contassem a ninguém. Contudo, quanto mais ele os proibia, mais eles falavam. O povo ficava simplesmente maravilhado e dizia: "Ele faz tudo muito bem. Faz até o surdo ouvir e o mudo falar".

 

 

23 - SEGUNDA MULTIPLICAÇÃO DE PÃES  

Mateus 15:32-38 Marcos 8.1-9

 

Jesus chamou os seus discípulos e disse: "Tenho compaixão desta multidão; já faz três dias que eles estão comigo e nada têm para comer. Não quero mandá-los embora com fome, porque podem desfalecer no caminho".  Os seus discípulos responderam: "Onde poderíamos encontrar, neste lugar deserto, pão suficiente para alimentar tanta gente?"  "Quantos pães vocês têm?", perguntou Jesus. "Sete", responderam eles, "e alguns peixinhos."  Ele ordenou à multidão que se assentasse no chão.  Depois de tomar os sete pães e os peixes e dar graças, partiu-os e os entregou aos discípulos, e os discípulos à multidão.  Todos comeram até se fartar. E ajuntaram sete cestos cheios de pedaços que sobraram. 

 

 

24 - CURA O HOMEM CEGO, SURDO MUDO DE NASCENÇA.

Marcos 8:22-26

 

Eles foram para Betsaida, e algumas pessoas trouxeram um cego a Jesus, suplicando-lhe que tocasse nele.  Ele tomou o cego pela mão e o levou para fora do povoado. Depois de cuspir nos olhos do homem e impor-lhe as mãos, Jesus perguntou: "Você está vendo alguma coisa?"  Ele levantou os olhos e disse: "Vejo pessoas; elas parecem árvores andando".  Mais uma vez, Jesus colocou as mãos sobre os olhos do homem. Então seus olhos foram abertos, e sua vista lhe foi restaurada, e ele via tudo claramente.  Jesus mandou-o para casa, dizendo: "Não entre no povoado!”.

 

 

25 - CURA O FILHO DE HOMEM QUE ERA CEGO, SURDO E ESTAVA ENDEMONINHADO.

Mateus 17:14-20 -  Marcos -  9.14-29 -  Lucas 9.38-42

 

Quando chegaram onde estava a multidão, um homem aproximou-se de Jesus, ajoelhou-se diante dele e disse:  "Senhor, tem misericórdia do meu filho. Ele tem ataques e está sofrendo muito. Muitas vezes cai no fogo ou na água.  Eu o trouxe aos teus discípulos, mas eles não puderam curá-lo".  Respondeu Jesus: "Ó geração incrédula e perversa, até quando estarei com vocês? Até quando terei que suportá-los? Tragam-me o menino".Jesus repreendeu o demônio; este saiu do menino que, daquele momento em diante, ficou curado.  Então os discípulos aproximaram-se de Jesus em particular e perguntaram: "Por que não conseguimos expulsá-lo?"  Ele respondeu: “Porque a fé que vocês têm é pequena”. Eu lhes asseguro que se vocês tiverem fé do tamanho de um grão de mostarda, poderão dizer a este monte: 'Vá daqui para lá', e ele irá. Nada lhes será impossível.

 

 

26 - PAGAMENTO DO IMPOSTO

 Mateus 17.24-27

 

E, chegando eles a Cafarnaum, aproximaram-se de Pedro os que cobravam as dracmas, e disseram: O vosso mestre não paga as dracmas?

Disse ele: Sim. E, entrando em casa, Jesus se lhe antecipou, dizendo: Que te parece, Simão? De quem cobram os reis da terra os tributos, ou o censo? Dos seus filhos, ou dos alheios? Disse-lhe Pedro: Dos alheios. Disse-lhe Jesus: Logo, estão livres os filhos. Mas, para que os não escandalizemos, vai ao mar, lança o anzol, tira o primeiro peixe que subir, e abrindo-lhe a boca, encontrarás um estáter; toma-o, e dá-o por mim e por ti.

 

 

27 - CURA DE UM CEGO

João 9.1-7

 

E, Passando Jesus, viu um homem cego de nascença. E os seus discípulos lhe perguntaram, dizendo: Rabi, quem pecou, este ou seus pais, para que nascesse cego? Jesus respondeu: Nem ele pecou nem seus pais; mas foi assim para que se manifestem nele as obras de Deus. Convém que eu faça as obras daquele que me enviou, enquanto é dia; a noite vem, quando ninguém pode trabalhar.

Enquanto estou no mundo, sou a luz do mundo. Tendo dito isto, cuspiu na terra, e com a saliva fez lodo, e untou com o lodo os olhos do cego.

E disse-lhe: Vai, lava-te no tanque de Siloé (que significa o Enviado). Foi, pois, e lavou-se, e voltou vendo.

 

 

28 – CURA UMA MULHER DE SUA DOENÇA

Lucas 13:10-17

 

Certo sábado Jesus estava ensinando numa das sinagogas,  e ali estava uma mulher que tinha um espírito que a mantinha doente havia dezoito anos. Ela andava encurvada e de forma alguma podia endireitar-se.  Ao vê-la, Jesus chamou-a à frente e lhe disse: "Mulher, você está livre da sua doença".  Então lhe impôs as mãos; e imediatamente ela se endireitou, e passou a louvar a Deus.  Indignado porque Jesus havia curado no sábado, o dirigente da sinagoga disse ao povo: "Há seis dias em que se deve trabalhar. Venham para ser curados nesses dias, e não no sábado". O Senhor lhe respondeu: "Hipócritas! Cada um de vocês não desamarra no sábado o seu boi ou jumento do estábulo e o leva dali para dar-lhe água?  Então, esta mulher, uma filha de Abraão a quem Satanás mantinha presa por dezoito longos anos, não deveria no dia de sábado ser libertada daquilo que a prendia?"  Tendo dito isso, todos os seus oponentes ficaram envergonhados, mas o povo se alegrava com todas as maravilhas que ele estava fazendo.

 

 

29 - CURA DE UM HIDRÓPICO

Lucas-  14.1-6

 

ACONTECEU num sábado que, entrando ele em casa de um dos principais dos fariseus para comer pão, eles o estavam observando.

E eis que estava ali diante dele um certo homem hidrópico.

E Jesus, tomando a palavra, falou aos doutores da lei, e aos fariseus, dizendo: É lícito curar no sábado? Eles, porém, calaram-se. E, tomando-o, o curou e despediu.

E disse-lhes: Qual será de vós o que, caindo-lhe num poço, em dia de sábado, o jumento ou o boi, o não tire logo?

E nada lhe podiam replicar sobre isto.

 

 

30 - RESSURREIÇÃO DE LÁZARO

João 11:1-46

 

Havia um homem chamado Lázaro. Ele era de Betânia, do povoado de Maria e de sua irmã Marta. E aconteceu que Lázaro ficou doente. Maria, sua irmã, era a mesma que derramara perfume sobre o Senhor e lhe enxugara os pés com os cabelos.  Então as irmãs de Lázaro mandaram dizer a Jesus: "Senhor, aquele a quem amas está doente".  Ao ouvir isso, Jesus disse: "Essa doença não acabará em morte; é para a glória de Deus, para que o Filho de Deus seja glorificado por meio dela".  Jesus amava Marta, a irmã dela e Lázaro. No entanto, quando ouviu falar que Lázaro estava doente, ficou mais dois dias onde estava.  Depois disse aos seus discípulos: "Vamos voltar para a Judéia".  Estes disseram: "Mestre, há pouco os judeus tentaram apedrejar-te, e assim mesmo vais voltar para lá?"  Jesus respondeu: "O dia não tem doze horas? Quem anda de dia não tropeça, pois vê a luz deste mundo.  Quando anda de noite, tropeça, pois nele não há luz".  Depois de dizer isso, prosseguiu dizendo-lhes: "Nosso amigo Lázaro adormeceu, mas vou até lá para acordá-lo".  Seus discípulos responderam: "Senhor, se ele dorme, vai melhorar".  Jesus tinha falado de sua morte, mas os seus discípulos pensaram que ele estava falando simplesmente do sono.  Então lhes disse claramente: "Lázaro morreu,  e para o bem de vocês estou contente por não ter estado lá, para que vocês creiam. Mas, vamos até ele".  Então Tomé, chamado Dídimo, disse aos outros discípulos: "Vamos também para morrermos com ele".  Ao chegar, Jesus verificou que Lázaro já estava no sepulcro havia quatro dias.  Betânia distava cerca de três quilômetros de Jerusalém,  e muitos judeus tinham ido visitar Marta e Maria para confortá-las pela perda do irmão.  Quando Marta ouviu que Jesus estava chegando, foi encontrá-lo, mas Maria ficou em casa.  Disse Marta a Jesus: "Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido.  Mas sei que, mesmo agora, Deus te dará tudo o que pedires".  Disse-lhe Jesus: "O seu irmão vai ressuscitar".  Marta respondeu: "Eu sei que ele vai ressuscitar na ressurreição, no último dia".  Disse-lhe Jesus: "Eu sou a ressurreição e a vida. Aquele que crê em mim, ainda que morra, viverá;  e quem vive e crê em mim, não morrerá eternamente. Você crê nisso?"  Ela lhe respondeu: "Sim, Senhor, eu tenho crido que tu és o Cristo, o Filho de Deus que devia vir ao mundo”. 8 E depois de dizer isso, foi para casa e, chamando à parte Maria, disse-lhe: "O Mestre está aqui e está chamando você".  Ao ouvir isso, Maria levantou-se depressa e foi ao encontro dele.  Jesus ainda não tinha entrado no povoado, mas estava no lugar onde Marta o encontrara.  Quando notaram que ela se levantou depressa e saiu, os judeus, que a estavam confortando em casa, seguiram-na, supondo que ela ia ao sepulcro, para ali chorar.  Chegando ao lugar onde Jesus estava e vendo-o, Maria prostrou-se aos seus pés e disse: "Senhor, se estivesses aqui meu irmão não teria morrido". Ao ver chorando Maria e os judeus que a acompanhavam, Jesus agitou-se no espírito e perturbou-se.  "Onde o colocaram?", perguntou ele. "Vem e vê Senhor", responderam eles.  Jesus chorou.  Então os judeus disseram: "Vejam como ele o amava!"  Mas alguns deles disseram: "Ele, que abriu os olhos do cego, não poderia ter impedido que este homem morresse?"  Jesus, outra vez profundamente comovido, foi até o sepulcro. Era uma gruta com uma pedra colocada à entrada.  "Tirem à pedra", disse ele. Disse Marta, irmã do morto: "Senhor, ele já cheira mal, pois já faz quatro dias".  Disse-lhe Jesus: "Não lhe falei que, se você cresse, veria a glória de Deus?" Então tiraram a pedra. Jesus olhou para cima e disse: "Pai, eu te agradeço porque me ouviste.  Eu sei que sempre me ouves, mas disse isso por causa do povo que está aqui, para que creia que tu me enviaste".  Depois de dizer isso, Jesus bradou em alta voz: "Lázaro, venha para fora!"  O morto saiu, com as mãos e os pés envolvidos em faixas de linho e o rosto envolto num pano. Disse-lhes Jesus: "Tirem as faixas dele e deixem-no ir".  Muitos dos judeus que tinham vindo visitar Maria, vendo o que Jesus fizera, creram nele.  Mas alguns deles foram contar aos fariseus o que Jesus tinha feito.

 

 

 

31 - CURA DEZ LEPROSOS

Lucas 17:11-19

 

A caminho de Jerusalém, Jesus passou pela divisa entre Samaria e Galiléia.  Ao entrar num povoado, dez leprosos dirigiram-se a ele. Ficaram a certa distância  e gritaram em alta voz: "Jesus, Mestre, tem piedade de nós!"  Ao vê-los, ele disse: "Vão mostrar-se aos sacerdotes". Enquanto eles iam, foram purificados.  Um deles, quando viu que estava curado, voltou, louvando a Deus em alta voz.  Prostrou-se aos pés de Jesus e lhe agradeceu. Este era samaritano.  Jesus perguntou: "Não foram purificados todos os dez? Onde estão os outros nove?  Não se achou nenhum que voltasse e desse louvor a Deus, a não ser este estrangeiro?"  Então ele lhe disse: "Levante-se e vá; a sua fé o salvou ".

 

  

 

32 - CURA DO CEGO BARTIMEU

 Mateus 20.29-34 -  Marcos 10.46-52  -; Lucas 18.35-43.

 

E, saindo eles de Jericó, seguiu-o grande multidão.

E eis que dois cegos, assentados junto do caminho, ouvindo que Jesus passava, clamaram, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de nós! E a multidão os repreendia, para que se calassem; eles, porém, cada vez clamavam mais, dizendo: Senhor, Filho de Davi, tem misericórdia de nós! E Jesus, parando, chamou-os, e disse: Que quereis que vos faça? Disseram-lhe eles: Senhor, que os nossos olhos sejam abertos. Então Jesus, movido de íntima compaixão, tocou-lhes nos olhos, e logo viram; e eles o seguiram.

 

 

33 - AMALDIÇOA A FIGUEIRA E ESTA SECA

Marcos 11:12-14,20-21 -  Mateus 21.18,19

 

No dia seguinte, quando estavam saindo de Betânia, Jesus teve fome.  Vendo à distância uma figueira com folhas, foi ver se encontraria nela algum fruto. Aproximando-se dela, nada encontrou, a não ser folhas, porque não era tempo de figos.  Então lhe disse: "Ninguém mais coma de seu fruto". E os seus discípulos ouviram-no dizer isso.

De manhã, ao passarem, viram a figueira seca desde as raízes.  Pedro, lembrando-se, disse a Jesus: "Mestre! Vê! A figueira que amaldiçoaste secou!"

 

 

34 - RESTAURAÇÃO DA ORELHA DE MALCO –

Lucas 22.49-51; João 18.10

 

E, vendo os que estavam com ele o que ia suceder, disseram-lhe: SENHOR, feriremos a espada?

E um deles feriu o servo do sumo sacerdote, e cortou-lhe a orelha direita.

E, respondendo Jesus, disse: Deixai-os; basta. E, tocando-lhe a orelha, o curou.

 

 

35 - JESUS É RESSUSCITADO DENTRE OS MORTOS

Marcos 16:1-20

 

Quando terminou o sábado, Maria Madalena, Salomé e Maria, mãe de Tiago, compraram especiarias aromáticas para ungir o corpo de Jesus.  No primeiro dia da semana, bem cedo, ao nascer do sol, elas se dirigiram ao sepulcro,  perguntando umas às outras: "Quem removerá para nós a pedra da entrada do sepulcro?"  Mas, quando foram verificar, viram que a pedra, que era muito grande, havia sido removida.  Entrando no sepulcro viram um jovem vestido de roupas brancas assentado à direita, e ficaram amedrontadas. "Não tenham medo", disse ele. "Vocês estão procurando Jesus, o Nazareno, que foi crucificado. Ele ressuscitou! Não está aqui. Vejam o lugar onde o haviam posto.  Vão e digam aos discípulos dele e a Pedro: Ele está indo adiante de vocês para a Galiléia. Lá vocês o verão, como ele lhes disse."  Tremendo e assustadas, as mulheres saíram e fugiram do sepulcro. E não disseram nada a ninguém, porque estavam amedrontadas. 9 Quando Jesus ressuscitou, na madrugada do primeiro dia da semana, apareceu primeiramente a Maria Madalena, de quem havia expulsado sete demônios. Ela foi e contou aos que com ele tinham estado; eles estavam lamentando e chorando.  Quando ouviram que Jesus estava vivo e fora visto por ela, não creram.  Depois Jesus apareceu noutra forma a dois deles, estando eles a caminho do campo.  Eles voltaram e relataram isso aos outros; mas também nestes eles não creram.  Mais tarde Jesus apareceu aos Onze enquanto eles comiam; censurou-lhes a incredulidade e a dureza de coração, porque não acreditaram nos que o tinham visto depois de ressurreto.  E disse-lhes: "Vão pelo mundo todo e preguem o evangelho a todas as pessoas.  Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado.  Estes sinais acompanharão os que crerem: em meu nome expulsarão demônios; falarão novas línguas;  pegarão em serpentes; e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal nenhum; imporão as mãos sobre os doentes, e estes ficarão curados".  Depois de lhes ter falado, o Senhor Jesus foi elevado aos céus e assentou-se à direita de Deus.  Então, os discípulos saíram e pregaram por toda parte; e o Senhor cooperava com eles, confirmando-lhes a palavra com os sinais que a acompanhavam.

 

 

 

 

 

 36 - A PESCARIA MIRACULOSA FINAL

João 21:11, 14,24

 

Depois disso Jesus apareceu novamente aos seus discípulos, à margem do mar de Tiberíades. Foi assim:  Estavam juntos Simão Pedro; Tomé, chamado Dídimo; Natanael, de Caná da Galiléia; os filhos de Zebedeu; e dois outros discípulos.  "Vou pescar", disse-lhes Simão Pedro. E eles disseram: "Nós vamos com você". Eles foram e entraram no barco, mas naquela noite não pegaram nada.  Ao amanhecer, Jesus estava na praia, mas os discípulos não o reconheceram.  Ele lhes perguntou: "Filhos, vocês têm algo para comer?" Eles responderam que não.  Ele disse: "Lancem a rede do lado direito do barco e vocês encontrarão". Eles a lançaram, e não conseguiam recolher a rede, tal era a quantidade de peixes.  O discípulo a quem Jesus amava disse a Pedro: "É o Senhor!" Simão Pedro, ouvindo-o dizer isso, vestiu a capa, pois a havia tirado, e lançou-se ao mar.  Os outros discípulos vieram no barco, arrastando a rede cheia de peixes, pois estavam apenas a cerca de noventa metros da praia.  Quando desembarcaram, viram ali uma fogueira, peixe sobre brasas, e um pouco de pão.  Disse-lhes Jesus: "Tragam alguns dos peixes que acabaram de pescar".  Simão Pedro entrou no barco e arrastou a rede para a praia. Ela estava cheia: tinha cento e cinqüenta e três grandes peixes. Embora houvesse tantos peixes, a rede não se rompeu.  Jesus lhes disse: "Venham comer". Nenhum dos discípulos tinha coragem de lhe perguntar: "Quem és tu?" Sabiam que era o Senhor.  Jesus aproximou-se, tomou o pão e o deu a eles, fazendo o mesmo com o peixe.  Esta foi à terceira vez que Jesus apareceu aos seus discípulos, depois que ressuscitou dos mortos.

 

 

ESTE É O DISCÍPULO QUE DÁ TESTEMUNHO DESSAS COISAS E QUE AS REGISTROU. SABEMOS QUE O SEU TESTEMUNHO É VERDADEIRO.

                                                                                   FRATERNALMENTE       

 

voltar-